Aprenda programação de computadores do ZERO!

Opa tudo bem? Meu nome é Felipe Fontoura e sou professor e o fundador do blog Dev Samurai e se você já se perguntou:

  • “Posso aprender programação de computadores? É difícil?”
  • “Posso trabalhar na área de programação ou jogos e ainda ganhar bem?”
  • “Não consigo entender nada que o professor do curso de computação explica! Como consigo aprender?”
  • Ou até mesmo se um dia se achou “burro”

… Então você está no lugar certo.

Leia a seguir como o site Dev Samurai vai te ajudar a aprender programação do básico ao avançado

Existem hoje aproximadamente 150 tipos de linguagens e de programação diferentes.

Na contra-mão da crise o mercado de TI cresce em ritmo frenético. Somente em Junho de 2015 foram abertas 10.105 vagas de emprego na área.

O salário de um programador varia de R$ 1.500,00 a R$ 30.000,00 dependendo da tecnologia e conhecimento.

Mesmo com uma grande oportunidade no mercado de TI muitas pessoas que tentam aprender computação fracassam miseravelmente.

Isso pode acontecer por diversos motivos, mas os principais são:

  • Falta de didática dos professores.
  • Excesso de matérias complicadas e muitas vezes desnecessárias.
  • Ou até mesmo por falta de interesse ou preguiça do aluno.

Felizmente você pode aprender da forma certa simplesmente seguindo o seu ritmo, passo a passo, e não tudo de uma vez como muitos fazem.

Um erro comum é tentar ler aquele livro técnico grosso, que mais serve para impressionar os amigos do que aprender.

E você já reparou que nas videoaulas do blog tudo parece mais simples?

Livros técnico – As vezes mais atrapalha do que ajuda

As vezes os livros técnicos e professores simplesmente não começam do básico com calma, passo a passo.

Em menos de 4 anos lecionando as matérias de Lógica de Programação, Programação Orientada a Objetos – POO, Algoritmos e Estrutura de Dados, Programação para Internet, Websites, entre outras acumulei alguns números:

  • Total de aproximadamente 4.000 horas em sala de aula.
  • Mais de 700 alunos formados.
  • Quase 1200 páginas de material técnico.
  • Muitos alunos selecionados para trabalhar em grandes empresas.

Por isso, estou aqui para ajudar você aprender a programar de verdade! De maneira fácil mesmo que você seja um iniciante. Não é segredo nenhum, simplesmente ensinando da mesma forma que eu ensino meus alunos: Usando uma didática muito simples e sem despejar de uma vez toneladas de conteúdo desnecessário apenas para fazer “volume”.

Eu acredito sinceramente que qualquer pessoa de qualquer idade ou gênero pode aprender a programar.

Você quer aprender a programar?

Então coloque agora seu email abaixo (é grátis e sempre será) e você receberá videoaulas básicas e avançadas, artigos e dicas ninja.

Como um livro velho de MSDOS me ajudou a conseguir um emprego de programador com um salário de R$ 4.998,00 aos 22

Eu passei minha adolescência inteira morando em um pequeno sítio em São José dos Campos – SP. Não havia telefone, e muito menos Internet. Eu vivia em uma ilha rural completamente isolado de qualquer tecnologia.

Eu amava computadores, mas não tinha um.

Sempre que eu queria jogar Doom precisava ir a casa de um primo e esperar ele jogar até cansar, então eu pulava no teclado e ali passava meus eternos 5 minutos jogando até meu primo voltar e me tirar de lá aos berros. Oh vida!

Bons tempos de Doom

Eu me lembro como se fosse hoje… Era uma noite de inverno e no sítio onde morava fazia muito frio, e já tarde da noite sem nada para fazer eu esperava meu pai chegar do trabalho.

Era um daqueles dias de semana, tipo quarta-feira sem importância alguma. E para minha surpresa eu estava enganado.

Eu escutei a porta abrindo bem devagar, era uma porta barulhenta de metal. Esperei meu pai entrar rápido (o frio estava demais) então 1..2..5 minutos e nada.

Cheguei lá e meu pai estava na garagem tirando do porta malas do seu Voyage 1982 um computador todo desmontado.

Não demorei um piscar de olhos para começar a ajudar e fui logo perguntando: “O que isso?

Filho o pessoal do serviço ia jogar no lixo esse computador e eu comprei…

então ele continuou

…a pessoa que eu comprei disse para digitar esses comandos aqui desse livro.

Consequência: Eu passei a noite lendo o livro e tentando traduzir as teclas do teclado que estava em inglês.

Naquela madrugada eu descobri que a tradução de “Caps Lock” não era “Travar Tecla”  🙂

Na frente deste computador eu passava horas!

Um belo dia, ou melhor madrugada, enfurnado em meu quarto eu descobri meio que sem querer um comando chamado qbasic.

No início eu nem dei bola, porque mal sabia o que aquilo era. Um monte de códigos estranhos e algumas letras eram coloridas.

Para ser sincero eu só queria jogar paciência porque naquela época eu achava os computadores coisa do outro mundo – e antes que você pergunte, não! O jogo que eu gostava não rodava no meu computador velho 🙁

Depois de me tornar o “mestre” do baralho virtual resolvi por força do tédio abrir aquele comando maluco de novo (que eu não lembrava direito, eram muitos comandos complicados).

Digitei!

Vi na minha tela preto e branco que havia algo chamado RUN e fui conferir em meu dicionário o que significava, achei: CORRER. Então pensei “bom, o computador não tem pernas então vou clicar”.

E abriu um joguinho feito em DOS de um gorila que ficava arremessando bananas explosivas.

Naquela hora tudo se ligou: “C.A.R.A.L.H.* eu posso criar meu programa!!!!

QBasic e o jogo do gorila maluco!

Peguei aquele livro velho e grosso de MSDOS 5.0 que veio junto com o computador e devorei, lá tinha alguns comandos em inglês: if, case, let, set, …

Depois de ler quase por um mês seguido sem parar o livro eu já sabia de tudo!

Então voltei para o joguinho do gorila maluco, olhei para o código fonte de novo (já reconhecia alguns comandos), digitei alguns códigos Basic e adivinha? O programa não rodou!

Mais uma vez… Nada! De novo! Necas! Depois de 1 hora tentando sem sucesso! 🙁

Gastei semanas para entender algo simples:

Para aprender programar você deve começar devagar e com um problema pequeno.

Então decidi criar um programinha que escrevia meu nome 11 vezes na tela. E… RODOU! Uhuuu!

O primeiro programa de computador a gente nunca esquece!

Eu continuei enfurnado naquele quarto no sítio por meses… Foi divertido!

Um belo dia, já no curso de Técnico de Eletrônica, o professor Sérgio (que depois virou meu colega de profissão) nos apresentou outra linguagem de programação: a temida linguagem C.

A forma que ele apresentou não foi nada daquilo que eu esperava, afinal, ele possuía domínio e não precisava sequer olhar o livro da biblioteca (sabia tudo de cabeça).

Porem que o que mais me incomodava era que todas as vezes que eu perguntava ele me respondia com pressa, era sempre aquelas respostas do tipo: “olha na página X do livro“. E quando eu insistia ele falava que era porque eu não tinha base.

Realmente eu não tinha base. Mas a culpa não era minha!

Ahhhh chegou meus os 18 anos! Todo rapaz espera esse dia!!! E como todo mundo nessa idade eu queria ter as minhas coisas, e principalmente meu carro para ter mais liberdade.

Naquela época em 2001 uma empresa na minha cidade a Embraer (fabricante de aeronaves) estava selecionado pessoas para compor o quadro técnico.

Tentei uma vaga e adivinha!? Não passei! Na verdade eu precisei de mais 11 tentativas até conseguir um cargo de Revisor de manuais técnicos de aeronave.

Uau! Mamãe sorrindo e Papai orgulhoso.

Primeiro dia de trabalho, o chefe: “Felipe você vai trabalhar com essa aeronave – ERJ 145, e você será parte da equipe do manual IPC – Interchangeable Parts Manual

Eu quase não coube dentro de mim! Peito cheio de orgulho! Uau! Depois das apresentações e formalidades bora trabalhar.

Então meu chefe o Roberto veio me explicar o trabalho: “Olha Felipe, nosso trabalho é verificar o que foi revisado na versão anterior com a versão atual e verificar se a barrinha preta indicando revisão está certa” (essa barrinha na frente de cada linha do manual ajuda o mecânico de aeronaves identificar facilmente mudanças).

Um manual tem aproximadamente 5.000 páginas! Uma aeronave tem vários manuais. Então fiz uma conta rápida e já percebi a quantidade de trabalho!

Ali segui por meses… Confesso que um pouco entediado.

Enfim! meu primeiro dia na faculdade – Engenharia da Computação, ano de 2001.

Aula de C com a professora Sylaine. Levanto a mão e pergunto… E adivinha a resposta: “Pesquisa no Google para você verificar os detalhes” (pelo menos evoluiu, não era mais o livro da biblioteca).

Naquela hora eu me decepcionei por completo e quase desisti de aprender programação.

O valor da mensalidade na época era de R$ 980,00 e se não fosse pelo meu salário de revisor técnico eu não conseguiria pagar.

Então me vi perdido. O que eu mais amava aprender era o que mais me deixava frustado!

Aqueles códigos complicados não entravam na minha cabeça!

Foi então que eu me lembrei do livro de MSDOS que estava guardado na estante a anos, e principalmente, não o que mas como eu aprendi informática.

Então peguei vários exemplos da Internet e estudei feito louco (naquela época não existia YouTube e muito menos videoaulas – já estou velho).

E descobri uma realidade perturbadora: A maioria das escolas estão preocupadas apenas com o seu dinheiro! Principalmente as particulares.

A partir daquele momento, segui meu caminho… Frustração total!

Então depois de um tempo, uma pessoa me procurou na Embraer chamado Rogério (eu havia feito um programinha em Unix Solaris – um sistema muito usado em empresas de grande porte) e me ofereceu uma vaga na equipe de desenvolvimento de software.

Na verdade eu não tinha formação superior, mais eu sabia fazer comandos Unix que são parecidos com o que eu havia aprendido com aquele livro velho.

Sorte ou Esforço? Um pouco de cada!

R$ 4.998,00 esse era o valor do meu salário poucos meses depois. Aos 22, me senti rico!

Sim!!! Qualquer pessoa pode aprender Programação

Com essa ideologia na cabeça e muita vontade de mudar essa triste realidade eu decidi me tornar professor em 2011.

Porem um belo dia, final de trimestre e aula de revisão, uma aluna interrompe minha aula (quase no final) e comentou: “Professor, desculpa sua aula está muito boa mas eu não entendi nada!

Confesso que contei até 1000 em binário de traz para frente! Depois de 40 minutos ela me fala isso?! (pensei indignado). Respirei fundo, e continuei…

E advinha qual foi minha resposta?

Pesquisa no Google.

Naquele exato momento senti vergonha de mim mesmo como professor e pessoa!

Foi então que eu descobri algo perturbador que me fez tomar uma atitude que eu nem mesmo acreditei!

Bom primeiro eu pedi desculpas, e segundo me comprometi a dar aulas particulares pessoalmente até que ela entendesse de vez.

Foi ali, com aquela aluna que eu percebi como sacrificava os alunos por conta de um “plano de ensino” que mais vale de faxada de venda de muitas escolas do que para ensinar de verdade.

E ainda bem que eu percebi isso a tempo de matar a paixão dos meus alunos como quase aconteceu comigo. Desde então passei a focar na qualidade das aulas!

Hoje me lembro como ajudei muita gente e principalmente me diverti e me divirto com o que amo fazer todos os dias desde 1997 quando decidi aprender programação com aquele bendito livro.

Afinal já são mais de 20.000 horas na frente desses códigos que a minha Mãe nunca entendeu para que serve.

Fundei minha empresa, a Internet Sistemas junto com meu amigo de faculdade, e hoje junto com a minha equipe, eu ajudo outras empresas criando meus próprios programas como o [iS]Chef e ganho dinheiro com isso.

Desde então eu estou convencido que a carreira na área de computação, e principalmente a de programação de computadores é uma das melhores escolhas!

Como o trabalho de um programador ou programadora é basicamente “pensar”, isso te torna mais inteligente, e principalmente permite fazer algumas coisas bem legais e divertidas:

Experimente! Tenho certeza que não irá ser fácil no início. Mas o no fim compensa! Aprenda algo novo todo dia, e não pare!

Fiz da minha missão de vida este blog

Sou professor e a minha missão é ajudar mais de 1 Milhão de pessoas a aprender a programar do zero em 5 anos.

Por isso criei este blog.

Gostou do blog Dev Samurai?

Então cadastre seu email abaixo e receba o melhor material que já escrevi até hoje. Algo que venho colecionando e melhorando desde 1997 quando aprendi de verdade a programar.

Vamos juntos nesta jornada?

Então deixe seu e-mail abaixo se você realmente desejar ser um Programador Samurai: