Qual linguagem de programação aprender em 2018?

Capa do post: Qual linguagem de programação aprender em 2018?

Java, C#, JavaScript, Python, PHP, Ruby, C, C++, R, Go, Perl, TypeScript… Provavelmente você aprendeu ou tentou aprender alguma linguagem dessa lista de programação em 2017.

Masss…

  • Será que vale a pena continuar aprendendo essa linguagem de programação que você escolheu?
  • Qual linguagem de programação aprender agora em 2018?
  • Como saber quais tecnologias o mercado está precisando?
  • Qual linguagem de programação mais usada?

Se no ano de 2017 você se fez pelo menos 1 das 3 perguntas acima e continua confuso, então este artigo é para você (continue lendo).

Neste artigo irei trazer alguns números e estatísticas que poderão te auxiliar na difícil tomada de decisão do que estudar (principalmente para quem está começando na área de TI).

Assista o vídeo que eu gravei falando deste assunto:

Qual foi a “melhor” linguagem de programação em 2017?

Se você acompanha de perto o blog e também a Internet sabe que a todo momento surgem novidades no mundo da programação. Em 2017 não foi diferente, muitas coisas boas surgiram na área.

Algumas linguagens se mantiveram no topo, como o Java e outras se mostraram uma grande tendência, como o Python e o R.

É obvio que a “melhor linguagem” dependerá da aplicação da tecnologia, não existe a tal bala de prata.

Mas, existem alguns índices e estatísticas que poderão nos ajudar e ter uma noção do que destaque em 2017 e o que estudar em 2018. São estes:

Índice TIOBE

O índice TIOBE foi criado por uma empresa de software a algumas décadas, seu principal objetivo é medir a tecnologia com o maior impacto no mercado de TI.

Este índice baseia-se no cruzamento da quantidade de profissionais no mundo, cursos e treinamentos disponíveis, empresas vendendo essas tecnologias e outros. Por isso é um índice muito completo e confiável.

Vamos então verificar o índice relativo ao período de Dezembro de 2017 e analisar os números abaixo:


Java

O Java reina supremo, e se você domina esta tecnologia nunca irá ficar desesperado por emprego.

E isso deve-se basicamente a sua larga adoção no mercado corporativo.

Frameworks como Spring e Hibernate são amplamente utilizados e ótimos para se iniciar no mercado de TI e aproveitar a força desta tecnologia.

Também temos a criação de outras linguagens aproveitando toda a estabilidade da JVM (máquina virtual do Java – programa que “roda” o seu código Java), que ajudam a impulsionar esta linguagem como base.

C e C++

Podemos considerar a linguagem C/C++ como uma linguagem “mãe”. Basicamente tudo na programação utiliza pelo menos algum trecho de código dessa linguagem.

Sistemas operacionais, drivers, embarcados, grandes produtos, …

Por isso essa linguagem (que ainda não morreu como muitos dizem por aí) continua sendo utilizadas em larga escala.

Esta é uma tecnologia muito consolidada, apesar de se estar tornando específica (hoje temos muitas opções de tecnologias para iniciar um projeto, diferente dos programadores do século passado).

Python e R

Sem dúvida 2018 será o ano do Python e do R.

Essas linguagens estão tomando força devido a grande busca por respostas em ambientes complexos utilizando-se de algoritmos, matemática e big data.

Machine leargning, inteligência artificial, redes neurais e outros estão virando palavras da moda. E não é por menos.

Muitas empresas precisam aprender com seus dados, retirar respostas e padrões. Para aprender a aperfeiçoar seus negócios e torna-las mais lucrativas.

Quem não deseja aumentar seu lucro simplesmente entendendo melhor seu cliente?

O grande problema é que encontrar padrões em grande massa de dados é muito difícil.

Então aí que entram em cena o Python e o R.

Atualmente existem uma grande variedade de algoritmos e bibliotecas prontas escritos nestas linguagens.

Por isso a procura por estas tecnologias e por cientistas de dados (profissional que possa lidar com grandes massas de dados e retirar padrões delas) será o grande boom do mercado para 2018.

A quantidade de contribuições no GitHub

O GitHub é a maior plataforma de controle de código fonte e também de contribuição de projetos do mundo.

Nesta plataforma você além de controlar todo seus códigos pode contribuir para outros projetos, principalmente open-source.

Ela inclusive foi parte de um artigo que eu escrevi sobre como conseguir seu primeiro emprego na área de TI.

Por isso é a plataforma referência para entender quais projetos e linguagens mais estão chamando atenção em 2017.

Vamos analisar de perto o número de Pull Requests. Que basicamente são a quantidade de contribuições para um determinado projeto (no nosso caso tecnologias):

JavaScript

No GitHub o que chama muito atenção é a quantidade de contribuições para a linguagem JavaScript.

Isso deve-se basicamente não a linguagem em si, mas dos frameworks que estão na crista da onda.

Node.js, Angular, React, Vue.js, jQuery… Todas estas são tecnologias que impulsionam a internet de hoje.

Estes frameworks permitem criar desde websites dinâmicos até aplicativos híbridos (permite criar para Android e iOS sem reescrever o mesmo projeto duas vezes).

Na mesma linha temos as linguagens de programação descendentes como, por exemplo: CoffeeScript e TypeScript.

Esta última adotada para o framework Angular e por isso tem se tornado necessária.

Número de oportunidades no Indeed.com

O site indeed.com é a maior referência de oportunidade na área de TI no mundo.

Por lá você poderá encontrar todos os tipos de jobs e também empregos (principalmente para quem está de olho no mercado internacional).

Este site é interessante para quem deseja ganhar em dólares e viver em real, que é uma estratégia que eu mesmo usei por anos para faturar alto como comento neste vídeo.

No gráfico abaixo podemos observar a quantidade de oportunidades abertas no período de dezembro de 2017:

Qual linguagem de programação aprender em 2018?

Esses números foram muito legais e confirmam muita coisa boa… Massss, uma coisa é dado outra é informação.

A pergunta que fica é: Qual linguagem de programação aprender em 2018?

Para tentar responder a esta pergunta vamos voltar e analisar de perto o histórico do índice TIOBE para termos uma análise de tendências:

Este gráfico confirma a tendência de reinado do Java, desde 2002 esta tecnologia reina absoluto.

Na sequência temos o C/C++ que também confirma a tendência do gráfico acima.

Em seguida temos as “outras linguagens”, ou seja, as que estão no páreo.

Analisando estes números e o gráfico o meu primeiro conselho é:

Seja um programador poliglota e aprenda pelo menos 2 a 3 tecnologias diferentes.

Procure aprender uma linguagem consolidada no mercado e outra que possa ser uma novidade.

As tecnologias web são muito interessantes para quem deseja iniciar na carreira: HTML, CSS, JavaScript e até o PHP são ótimos.

Apesar não estarem no topo dos índices são tecnologias muito difundidas no mercado, qualquer empresa necessita de um website (de mercearias a multinacionais).

Como não podíamos deixar de citar a tecnologia Java e seu framework: Spring.

E também as tecnologias para Big data e inteligência: Python e R são ótimas para quem tem afinidade com números e gosta de algoritmos.

Para o mercado de Startup que estará muito mais aquecido sugiro que estude-se Ruby on Rails.

Este framework que completou 10 anos é amplamente utilizado para este perfil de empresa.

Conclusão

Não existe uma dica definitiva, o que posso aconselhar a você (se ainda permanece confuso) é olhar para dentro e deixar levar por o que seu coração fala.

Procure experimentar algumas tecnologias, conversar com pessoas e ir a encontros. Essa é uma boa forma de se manter atualizado e também achar novidades.

Experimentando e conversando você irá encontrar o seu caminho.

O mundo da programação é basicamente segmentado pelas seguintes áreas:

  • Frontend: que é toda a parte visual de um site e aplicativo.
  • Backend: que é toda a parte de código (normalmente o que os usuários comuns não enxergam).
  • Mobile: que são os aplicativos para Android e iOS.
  • Games: que são toda a parte de jogos para console ou para mobile.
  • Big data e inteligência: que é, como citei, o segmento que busca por padrões e resoluções de problemas por um cérebro eletrônico.

Sendo assim, tente encontrar algum segmento que mais te chame atenção.

Se você é uma pessoa mais criativa, gosta de desenhos talvez uma boa área é a de Frontend, ou se for de código talvez a de Backend.

Com o segmento escolhido as linguagens de programação e tecnologias irão surgir naturalmente até porque para cada segmento deste existem as tecnologias que dominam.

Espero que este pequeno “guia” tenha sido útil para você entender o seu caminho do que estudar ou se já está na área ficar na “crista da onda”.

Um forte abraço!

Fontes:

  • GitHub.com
  • Indeed.com
  • Tiobe.com