Linguagem de Programação – Tutorial Completo para aprender a programar

Capa do post: Linguagem de Programação – Tutorial Completo para aprender a programar

Hoje já somos perto de 18 milhões de programadores, mais 1 bilhão de computadores e centenas de linguagem de programação.

Com todos esses números é totalmente irrelevante reforçar a importância dos computadores no mundo de hoje. Você sabe disso.

E nesse tutorial eu irei falar absolutamente tudo o que você precisa saber para se tornar um bom programador e para que possa também ingressar nesse mercado bilionário.

Irei falar sobre:

  • Computadores
  • Sua História
  • Linguagens de programação
  • A melhor linguagem de programação para um iniciante
  • O que o mercado de TI está mas buscando

Assista também o vídeo falando sobre este assunto:

Espero que realmente goste deste artigo 🙂

Os computadores e a linguagem de programação não são tão modernos

É bastante comum associarmos computadores a tecnologia de ponta com uma visão meio futurista.

Mas, eu confesso que tenho que lhe contar uma verdade perturbadora na qual pode quebrar completamente este mito: Os computadores são mais antigos do que Jesus Cristo.

O primeiro computador da história

Para que você possa entender do que estou falando, vamos viajar no tempo e voltar quase 1 século antes dessa pessoa tão importante.

Mais precisamente 87 a.C. na Roma antiga. E descrever o que é considerado o primeiro computador da história.

Um “computador” chamado de Máquina de Anticítera.

Uma engenhoca que era formada de pelo menos 30 engrenagens cuidadosamente calculadas e montadas.

Uma computador analógico era responsável por previsões realmente importantes para época:

  • Agricultura, com o movimento do Sol e da Lua (o que era considerado vital para os povos antigos).
  • E também para prever sinal mal presságio como, por exemplo, os eclipses.

Ao serem “giradas”, essas engrenagens posicionavam um disco central onde continha marcações de calendário.

Tinha-se meses do ano, épocas e também posições planetárias.

Uma verdadeira revolução, já que não era mais necessário um especialista em previsões de astros 🙂

Maquina de Anticítera - uma representação lúdica
Maquina de Anticítera – uma representação lúdica

A calculadora de Pascal

Caminhando na nossa jornada dos computadores e principalmente das linguagens de programação vamos direto para 1620 na França.

E conhecer Pascal, aos 18 anos, o criador de uma das primeiras calculadoras.

Uma máquina, também movida a engrenagens, só que desta vez era capaz de executar 2 operações matemáticas (soma e subtração):

Calculadora de Pascal - Esquema lúdico
Calculadora de Pascal – Esquema lúdico

Diferente dos gregos antigos, seu objetivo era mais simples e menos glamoroso.

Basicamente ele queria ajudar o seu pai a computar os impostos de Rouen, França.

A ideia foi um tremendo sucesso, porém um fracasso na construção. Estima-se que mais de 50 versões foram construídas.

Até um matemático brilhante chamado Leibniz e inimigo declarado de Newton, se envolve no projeto, e torna possível as 4 operações básicas.

O princípio básico era o mesmo da Máquina de Anticítera: girar engrenagens e receber respostas.

Todas essas máquinas eram muito úteis para a época, porém havia um pequeno detalhe…

Elas não eram programáveis!

Para que você pudesse atualizar esses, digamos “programas” de cálculo, era necessário que se reconstruísse uma nova máquina com novas rodas dentadas.

E isso, como você pode imaginar, não é nada prático.

A primeira máquina programável

A solução só veio muito tempo depois, mais precisamente em 1801 em plena revolução industrial.

Joseph Jacquard inventava então um tear mecânico com uma leitora automática de cartões perfurados.

A ideia de Jacquard era um pouco menos nobre: possibilitar criar tecidos com padrões complexos de cores mais rápido possível.

Era uma espécie de “robô tecelão”.

Assim era possível criar-se mais tecido, com mais qualidade e mais diversidade nas tecelagens.

A ideia de Jacquard foi um tremendo sucesso, tanto que quase o matou devido a manifestações populares por trabalhadores do ramo têxtil.

A ideia dele atravessou o canal da mancha, onde inspirou Charles Babbage, então matemático e professor de Cambridge.

Só que ao invés de tecer padrões coloridos de tecido, Babbage gostaria de tecer números.

A solução era muito criativa e revolucionária para época. Já que a ideia era ter algo mais flexível.

A proposta de Babbage era criar uma máquina, também movida a engrenagens, porém que permitisse receber instruções de cartões perfurados.

Esses cartões, ao invés de conter padrões de tecelagem, conteriam números e instruções para o seu tear numérico.

Esta máquina seria mais flexível porque receberia comandos diversos. Tornando infinita as possibilidades.

Juntamente com Babbage no seu projeto, mas no “software”, estava trabalhando a então jovem Ada Lovelace.

Basicamente Ada, que foi considerada a primeira programadora, escrevia os primeiros programas para máquina de Babbage nestes cartões.

E mais ainda, ela inventava os primeiros conceitos da programação moderna.

Com uma forma mais inteligente de entrada de dados e processamento. Os computadores ganharam mais flexibilidade, abrindo caminho para uma nova geração de máquinas.

Uma guerra que trouxe uma revolução para os computadores

Historicamente uma guerra sempre impulsiona a tecnologia (para o bem e para o mal).

Foi então que neste cenário de guerra, o exército americano desenvolveu um projeto inspirado na máquina de Babbage.

Com 18.000 válvulas o ENIAC conseguia processar 500 multiplicações por segundo.

Nada mal para época.

Só que o ENIAC custou uma fortuna e nunca foi usado na segunda guerra mundial, já que havia ficado efetivamente pronto somente em 1946.

Porem, o maior legado do ENIAC não foi a velocidade, tamanha monstruosidade ou a tecnologia.

Sua principal herança foi possibilitar que John von Neumann prepusesse uma nova arquitetura para o que foi chamado de “cérebro eletrônico”.

O ENIAC era operado por um complicado painel de conectores e fios. Era quase que um conjunto de interruptores de liga e desliga em escala gigante.

Esse painel era responsável pela “programação” da máquina.

Com base nesse computador, Von Neumann propôs que, ao invés dos programas residirem no exterior da máquina, deveriam ficar armazenados em uma memória. Junto como todos os outros dados necessários para opera-lo.

Assim, sempre que o “cérebro eletrônico” precisasse de alguma informação, não era mais necessário trocar as engrenagens, cartões perfurados, fios, ou qualquer outra coisa.

Economizando tempo e aumentando a velocidade de processamento desses computadores.

A guerra acabará e Alan Turing juntamente com Von Neumann foram alguns dos responsáveis pela vitória dos aliados contra os Nazistas.

Por fim, apesar de haver um grande elefante branco na sala chamado ENIAC, havia uma nova proposta de arquitetura: Ao invés de armazenar programas em papel, armazenaríamos em meio eletrônico.

A grande vantagem com relação as máquinas de engrenagens é que já não era mais preciso “programar” direto no hardware, ou seja, criar engrenagens, perfurar cartões ou ligar fios.

Cérebro eletrônico - uma proposta de Von Neumann
Cérebro eletrônico – uma proposta de Von Neumann

Assim nasce a era das linguagens de programação modernas

Fortran e o Basic, foram as primeiras linguagens de programação mais populares.

Inclusive o Basic foi o pivô de uma grande revolução na indústria: dos computadores pessoais.

Bill Gates que criou uma variação da linguagem Basic e a comercializou, exerceu o principal papel de definir padrões da indústria e popularizar os computadores no mundo.

Já Steve Jobs, que estava preocupado com o design de uma máquina “para todos usarem” ajudou a difundir o caminho da computação pessoal com seus produtos icônicos.

De grandes mainframes a computadores pessoais e até de bolso, os computadores multiplicaram-se em um terreno fértil do mundo moderno.

Hoje estima-se que tenhamos mais de 1 bilhão de computadores.

Mas, uma coisa ainda não mudou desde 87 a.c.

Feitos de engrenagens de metal ou de silício todos esses computadores são meros executores de instruções e precisam de alguém que lhes digam o que fazer.

A linguagem de programação é a parte central do “cérebro eletrônico”, ou o CPU, de Von Neumann.

Sem algo que lhe digam o que fazer, o computador é apenas uma “torradeira elétrica” moderna.

Por isso a linguagem de programação foi, é, e será, o principal elemento para que um computador sege útil.

O que é linguagem de programação?

Como eu te falei antes, para que um computador sege útil ele precisa de instruções.

Algo como uma receita de bolo de chocolate, ou seja, um passo a passo.

Só que para o computador funcionar, estas instruções precisam ser escritas em binário.

Recebendo, processando e entregando bits (os zeros e uns) o computador é um robô eletrônico incansável.

E para que o trabalho do computador seja organizado, existem os programas.

Instruções que são organizadas e empilhadas formando uma espécie de receita de bolo binária.

Bom, até aqui tudo bem, certo?

Nem tanto…

Para que possamos criar algo de útil, precisamos escrever as receitas para que o computador as execute.

E nós, os seres humanos não conseguimos fazer isso de uma forma eficiente escrevendo as receitas diretamente na linguagem da máquina.

Eis então que entra em cena: a linguagem de programação!

Uma linguagem de programação é uma forma organizada para comunicar e construir instruções para que um computador as execute.

Todas os comandos são escritos por uma pessoa, chamado de programador, em um arquivo, chamado de código fonte.

Esse código fonte contem os comandos e instruções necessárias para que sejam transformados por um compilador, e posteriormente em linguagem da máquina.

Compilador – como escrever seus programas e transforma-los em binário

Seria então o programador o cozinheiro, e o código fonte a receita.

Qual linguagem de programação mais usada?

Caso você já tenha procurado na Internet por uma linguagem de programação para iniciantes ou a linguagem de programação mais usada você sabe o quanto é difícil achar uma para chamar de sua 🙂

E antes de te passar a lista com linguagens de programação mais usadas pelo mercado, deixe que eu explique melhor alguns conceitos para que você não fique mais em dúvida e consiga fazer a melhor escolha.

Funciona assim…

Hoje existem muitos tipos de linguagens de programação. E cada uma é melhor na proposta para que foi concebida.

As linguagens de programação dividem-se basicamente nas seguintes categorias:

  • Frontend – Todas as linguagens de programação que são especializadas na interface com o usuário.
  • Backend – São especializadas em sistemas. Por exemplo, bancários, comerciais, financeiros, estoque, etc.
  • Mobile – São especializadas para serem executadas em smartphones e tablets.
  • Games – Especializadas nos consoles e jogos.

O segredo para que você consiga escolher a melhor linguagem não é escolher entre a linguagem A, B, ou C.

É entender primeiro qual ramo você gostaria de trabalhar ou tem mais afinidade.

Por exemplo, se é uma pessoa que gosta mais do visual, interfaces, tratar com pessoas, é interessante estar de olho nas linguagens de programação para frontend. Que são: o HTML, CSS e o JavaScript.

Definido a área da programação que mais lhe agrada você escolhe a linguagem para estudar.

Eu disponibilizo nesta aula online gratuita um mapa de estudo completo para que você possa saber qual estudar, mas já te adianto as principais do mercado:

  1. Java
  2. C
  3. C++
  4. Python
  5. C#
  6. JavaScript

Neste artigo também falo com mais detalhes sobre as estatísticas que eu apresento acima.

Quanto ganha um programador?

E falando em mercado talvez você esteja curioso para saber quanto um programador ganha…

Não existe um valor já pré-estabelecido, mas existe uma média.

No site Love Mondays a média salarial de um programador é de R$3.221,00. Onde o menor salário é de R$788,00 e o maior de R$25.000,00.

Já o salário de um programador iniciante (júnior) gira em torno de uma média de R$2.215,00.

Para alguns isso é muito para outros nem tanto…

O que eu posso dizer como um programador a mais de 2 décadas é que a pessoa que souber programar sempre será essencial para o mundo de hoje e do futuro.

Porque como eu já falei, sem instruções do que e como fazer um computador é inútil.

E para funcionar qualquer computador precisa de um programador.

Ótimo! Mas, como aprender a programar?

Como aprender a programar?

Eu sempre digo que para aprender a programar você pode usar o “computador” mais potente feito até hoje…

Sua mente!

Por isso antes de se aventurar em comandos use a sua mente para criar os primeiros programas.

Porque disso???

Porque apesar dos computadores parecerem inteligentes, eles são extremamente burros.

E para nós, pensar de uma forma “burra” é muito difícil.

Vamos fazer um pequeno exercício.

Imagine que você é um robô e precisa passar pela porta mais próxima.

Fácil não!?

Então pense e enumere todos os passos necessários.

Provavelmente você pensou em torno de 3 a 5…

  1. Levantar
  2. Ir até a porta
  3. Abri-la
  4. Passar
  5. Fácil!

Só que esses passos são muitos genéricos para um robô.

Pense que para levantar daí, você precisaria saber, por exemplo, como está agora.

Se estiver deitado, sentado ou já de pé.

Cada situação exigiria um movimento diferente.

Então na etapa Levantar, teríamos que ter “sub-rotinas” que lhe diriam o que fazer.

Essas sub-rotinas seriam sua parte motora trabalhando.

Seguindo, a etapa “Ir a até a porta”, exigiria mais alguns cálculos.

O primeiro seria localizar a porta. Mais uma “sub-rotina” do seu sistema de visão.

E finalmente para abri-la, que precisaria de uma biblioteca de tipos de maçanetas para entender como abrir cada uma.

Se for redonda é de uma forma, ou até se estiver trancada.

Agora pare e pense novamente em um formato passo a passo.

De 3 teríamos pelo menos uns 50 passos.

Agora entendeu porque você precisa treinar seu cérebro?

Ele já está acostumado a pensar de uma forma inteligente.

E esta forma de pensar passo a passo chama-se lógica de programação.

Lógica de Programação

A lógica de programação é uma maneira de se pensar de forma estruturada para então escrever seus programas.

E para que você possa fazer isso, tem que passar pelo menos por 3 passos:

  1. Entender o problema que você quer resolver
  2. Criar uma rotina, um passo a passo como fizemos
  3. Escrever o código na linguagem de programação

Nesta aula online gratuita eu apresento com mais detalhes as 3 etapas (crio até um programa real).

É muito bacana! Você vai entender melhor o que eu expliquei.

Ainda, se quiser saber mais sobre lógica de programação, você pode assistir minha aula completa sobre isso depois de ler o artigo.

Como aprender uma linguagem de programação?

Depois de treinar a sua mente a pensar de uma forma estruturada. É hora de estudar uma linguagem de programação.

Neste passo muita gente se perde. E o principal motivo é porque tenta estudar tudo de uma fez.

Deixa eu te explicar melhor…

Não tem problema estudar, o problema é estudar sem colocar em prática. Que é chato.

Vejo muita gente tentar aprender programação com livros grossos de 968 páginas ou cursos em vídeo de 200 horas.

E sabe o que acontece?

Você fica sem motivação, porque programar sem ver resultado prático é entediante.

Por isso ao escolher uma linguagem para estudar considere essas duas coisas:

  1. Facilidade
  2. Projeto

Por exemplo, eu adoro o JavaScript.

A minha forma preferida de ensinar programação para meus alunos é de uma forma lúdica.

Por exemplo, em todos meus cursos de introdução a programação eu adiciono um joguinho.

Pense o quanto um jogo pode ser complexo e divertido.

Aprender programação como eu aprendi (e como muitos ainda ensinam) é chato.

Normalmente o professor apresenta uma linguagem difícil de entender, com muitas chaves, ponto e vírgula no final, parênteses, etc.

E nos exercícios práticos o que se vê é uma tela preta do DOS com um número de saída. Que é o resultado do programa.

Nos +700 alunos que eu já ensinei eu acabei percebendo que ter elementos coloridos na tela e animados, no caso o jogo, torna mais lúdico o aprendizado.

Porque você consegue colocar bastante conceitos de programação e informar para a mente do estudante que o que ele está fazendo é palpável, é visual, lúdico.

Não é à toa que modéstia a parte muitos alunos gostam das minhas aulas 🙂

Bom, você chegou até aqui nesse artigo e realmente está interessado por programação e está querendo aprender.

E provavelmente tem dúvidas de como aprender a programar.

Bom, eu gosto de estudar sempre por 2 fontes.

  1. Livros
  2. Aulas online

Cada um tem uma vantagem e desvantagem.

Eu percebo que os livros são baratos e possuem um índice. Você consegue seguir o passo a passo e também pular etapas quando quiser.

Uma vez cumprido o cronograma desse livro você consegue depois consultar com facilidade.

Só que a maior desvantagem que eu percebo e sinto é que pode ser chato as vezes ter um passo a passo de tela e código em um livro.

O autor precisa mostrar a tela passo a passo e isso fica repetitivo no papel.

Já nas aulas online esse é a principal vantagem!

Tudo é interativo e você tem vídeo e áudio. Consegue seguir perfeitamente o professor.

Se o professor for bom, já na primeira aula você já tem algum resultado.

Então a melhor forma de estudar que eu considero para um programador iniciante são as aulas online.

Justamente porque já existe este roteiro que alguém preparou antes.

Na internet existem várias muito boas. No próprio YouTube inclusive.

Eu também tenho minhas aulas online sobre como aprender a programar do zero no site: https://programardozero.com.br

Conclusões e resumo

Então para gente resumir a aula:

  • Os computadores são ferramentas flexíveis, mas são tão antigos quanto Jesus Cristo.
  • O que torna um computador realmente útil é a sua capacidade de rodar programas. Que como Von Neumann propôs, deveriam ficar armazenados na própria máquina. Genial.
  • Existem vários tipos de linguagens de programação, por isso antes de tentar aprender uma considere primeiro pensar no que realmente gosta de fazer.
  • Existe um grande mercado pagador para os programadores, apesar de haver mais de 18 milhões, ainda falta gente boa no mercado.
  • Falei também que para aprender a programar é necessário treinar a sua mente, para isso deve você deve estudar lógica de programação.
  • Indiquei o JavaScript para aprender primeiro.
  • E o site https://programardozero.com.br para aprender a programar do zero.

Acredito que esse guia completo e definitivo sobre linguagem de programação poderá te ajudar nessa jornada maravilhosa que eu já estou a quase 2 décadas.

E se você gostaria de ter um mapa completo do que estudar com todo o passo a passo acesse meu treinamento online gratuito no site: https://programardozero.com.br.

Deixe seu comentário aqui abaixo e inscreva-se no meu canal do YouTube para continuar me apoiando neste projeto tão maravilhoso.

Um forte abraço.